HOMEPAGE

Fact Checker: a minha coluna de opinião na Sábado
Publicado em: 20 Fev, 2014
Partilhar: Partilhar no Twitter

Regresso hoje às colunas de opinião no site da Sábado. Eu sei: para alguns este comeback é como aqueles filmes merdosos que passam em sessões contínuas no canal Hollywood. Mas é a vida, pagam-me para isto, rapazes. Para contrabalançar a falta de qualidade do filme, escolhi um protagonista que adora cinema de elite: Paulo Portas. O título da crónica é: “Paulo Portas, a Zsa Zsa Gabor portuguesa”. Enjoy.

 

A frase: 

“Sinto-me como o oitavo marido de Zsa Zsa Gabor: ‘Não sei como fazer isto de forma inédita e interessante.’”

 O autor:

Paulo Portas, conferência da revista Economist, em que foi o oitavo membro do Governo português a intervir

 A análise:

No romance “O Triunfo dos Porcos” George Orwell conta a história de uma quinta em que os animais se revoltam contra os homens, acusados de os explorar. Depois de se verem livres dos  algozes, os suínos tomam o comando com o pretexto de institutir um sistema igualitário. Mas com o passar do tempo, a corrupção toma conta do negócio e os líderes do grupo provam que afinal não são assim tão diferentes dos humanos – de tal modo que chegam a convidar os donos das quintas vizinhas para jantar.

Esta semana, passou-se mais ou menos a mesma coisa em Portugal, que recebeu, com pompa, carinho e circunstância, os responsáveis da revista cujo desporto favorito nos últimos anos é fazer tiro aos porcos – os “PIGS”, sigla amorosa adoptada pela Economist para designar Portugal, Itália, Grécia e Espanha, as quatro economias malditas. Pela série de conferências que a publicação organizou em Cascais, passaram todas as estrelas do Governo português, com Pedro Passos Coelho, Maria Luís Albuquerque e Paulo Portas à cabeça. Os três fizeram um esforço razoavelmente desesperado para convencer os senhores ricos e civilizados que a Economist de alguma forma representa de que podem sentar-se connosco à mesa sem risco de contraírem doenças virais e de que já é possível dialogar com Portugal sem sentir os efeitos devastadores do mau hálito provocado por anos de falta de higiene financeira.

Paulo Portas, acrobata da palavra e das ideias, foi o mais brilhante do trio-maravilha. Impecavelmente vestido, provou que os PIGS não só não sofrem de patologias de ordem viral, como também são sensíveis à história e à cultura. Para impressionar a audiência, o líder do CDS começou por citar o oitavo marido de Zsa Zsa Gabor. Conquistada a atenção dos senhores da  Economist, terminou a intervenção a pedir mais um nadinha de paciência para com as nossas, digamos, peculiaridades: “Portugal é o país certo no caminho certo. Não se arrependerão.” Há muitos anos, Zsa Zsa Gabor, conhecida por escolher bem os maridos, disse mais ou menos o mesmo: “Quero um homem que seja carinhoso e compreensivo. É pedir muito, de um milionário?”

 A sentença:

O vice-primeiro-ministro faltou à verdade quando admitou a sua incapacidade. Até a pedinchar Portas consegue ser genial.

 

portas

O Paulo…

zsa

… e a diva que adorava milionários

 









Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Current ye@r *