HOMEPAGE

O Cantinho da Cristina – I
Publicado em: 13 Dez, 2013
Partilhar: Partilhar no Twitter

 

Frank Sinatra era o mestre do dramatismo. E o príncipe do egocentrismo. Adorava ser o centro das atenções. E, quando não era, fazia por sê-lo – nem que para isso tivesse de encenar a própria morte. Um dia, já a sua relação com Ava Gardner era pouco mais do que uma anedota – a actriz tinha-lhe revelado que o traíra com um toureiro espanhol –, tiveram mais uma das suas épicas discussões. Ava Gardner, entre lágrimas e gritos, disse-lhe que ia embora de vez. Frank correu para o quarto. Ava ficou na sala. Momentos depois ouviu um tiro. Correu desesperada até ao quarto, onde encontrou Frank com um sorriso nos lábios e uma almofada furada na mão.

Serve esta petit histoire para falar de Cristina Ferreira, que hoje dá uma longa entrevista ao Diário de Notícias em que fala de coisas que interessam bastante à tribo indígena de Yaparis mas que ao comum cidadão não dizem nada. O que verdadeiramente importa para conhecer a Tininha é a imprensa de referência, segundo a qual a sua relação com Casinhas – também conhecido em certos e determinados meios por Fornicador Implacável – terá sido, à imagem do que sucedeu com Ava e Sinatra,  uma espécie de katrina emocional até ao último dia.

Segundo parece, o rapaz encontrava um prazer especial na democratização do seu corpo – o que o transforma instantaneamente na Ava Gardner da relação. Para que este texto fizesse sentido, seria este o momento em que explicaria os motivos científicos que me levariam a concluir que a Tina vestia as calças de Frank Sinatra lá em casa. Não é fácil, mas, como é sabido, a especulação gratuita é a única qualidade apontável a este blogue. Vamos a isso:

 

1 – Sinatra aviava Gardner com uma regularidade apreciável. Uns estalos aqui, umas garrafas de whisky a voar por ali. Nada de exageradamente violento. Não é crível que Cristina não tenha aplicado uns bananos no Fornicador Implacável sempre que a imprensa de referência decidia referenciar mais uma das suas supostas democratizações.

 

2 – Sinatra adorava dinheiro. Tinha uma relação física com as notas de dólar. De tal modo que tinha um colaborador que diariamente ia ao banco para lhe fornecer notas do dia (o artista recusava-se a utilizar notas usadas). Cristina, por seu lado, também não parece insensível ao perfume do vil metal: de acordo com a imprensa de referência terá o salário mais elevado da TV (cerca de 40 mil euros)

 

3 – Sinatra tinha uma mãe que era, digamos, empresária no ramo do sexo. Cristina… bem, Cristina… Cristina não tem nada disso, como é evidente. A única semelhança entre as suas mães é que ambas tiveram o privilégio de gerar duas criaturas extremamente magníficas. Tudo o resto é especulação barata em que me recuso a entrar.

 

ava

Frank e Ava…

cris

Cristina e Casinhas. Tem tudo a ver









Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Current ye@r *