HOMEPAGE

Os bastidores das minhas notícias V
Publicado em: 23 Jan, 2013
Partilhar: Partilhar no Twitter

socas

O guterrismo agonizava. Quem acompanhava de perto a vida política percebia que o Governo socialista estava podre por dentro. Guterres gostava demasiado de viajar – uma fraqueza compreensível, dado que naqueles dias Portugal era um país chato para se viver (entretanto tudo mudou, como se sabe).

A par de Jorge Coelho – o operário de serviço – um dos poucos ministros que trabalhavam no duro era Sócrates. José Sócrates. Todos lhe auguravam grande futuro, mas havia um grande tabu dentro do PS: ninguém ao mais alto nível tinha coragem de o verbalizar. Seria assumir que estava na hora de pensar em alguém para substituir Guterres.

Foi nesse momento que me lembrei de alguém que, devidamente trabalhado, o faria: Correia de Campos, na altura ministro da Saúde, com quem sempre tive uma relação de amor-ódio, mas que sempre respeitou o meu trabalho – e que era o rei do politicamente incorrecto.

Se o conseguisse fazer assumir em “on” que Sócrates daria um bom líder do PS, seria manchete na certa. E foi com essa ideia que me desloquei à sede do Ministério da Saúde. Correia de Campos não desiludiu – nunca desilude. Depois de o adormecer com perguntas sobre política de saúde, onde ele estava totalmente à vontade, tirei da cartola aquela que verdadeiramente me levara ali, a última da entrevista:

 – José Sócrates daria ou não um bom líder do PS?

 – Sim.

 Um segundo depois do “sim”, Correia de Campos percebeu que tinha sido apanhado na ratoeira – tinha-me dado o título que eu procurava. Ainda disse que Sócrates não era o único, etc., etc., mas não havia nada a fazer: para todos os efeitos, ele, que tinha sido convidado por Guterres para o seu governo, tinha-se transformado no primeiro promotor público da ideia da sua substituição. O resto da história é conhecida: a capa foi feita, Guterres perdeu as eleições autárquicas e foi substituído por um líder de transição (Ferro Rodrigues) que mais não fez do que criar as condições ideais para que Sócrates surgisse.









Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Current ye@r *