HOMEPAGE

Ainda sobre uma fraude chamada Aimar
Publicado em: 25 Jan, 2013
Partilhar: Partilhar no Twitter

Aimar é hoje como aquelas actrizes que foram divas inacessíveis na sua juventude, mas que entretanto perderam genica. O charme continua lá, mas a energia já não é a mesma. Ainda dá para desempenhar com distinção pequenos papéis, mas mais do que isso é um convite ao suicídio.

O primeiro a compreender que Aimar é uma diva decadente foi Jorge Jesus. Dói-me muito elogiar o mestre da pastilha, perdão, da táctica, mas a forma como JJ tem gerido a passagem do jogador pelo Benfica, utilizando-o a espaços e não o expondo demasiado, é a prova cabal de que o treinador do Benfica percebe bem mais de futebol do que de coloração capilar – a propósito já estava na hora de mudares de cabeleireiro, Jesus.

Luís Filipe Vieira está agora numa encruzilhada: mantém Aimar e continua a pagar principescamente a um jogador cuja utilidade é praticamente nula, ou vende-o e parte o coração aos adeptos. Aparentemente, o presidente do Benfica está tentado a desfazer-se do “Palhaço”. Caso seja essa a sua opção, pode preparar o corpito: a Jihad está a caminho. Bom, antes para ele do que para mim.

 aim1

Pablito, Pablito: mandaste-me o blogue abaixo, pá









9 comentários a “Ainda sobre uma fraude chamada Aimar

  1. ruben

    Honestamente, não sei como ganha a vida escrever coisas deste tipo e opinar sobre futebol… Aimar terá com certeza mais carácter num pelo do que vossa excelência no corpo todo… pelo menos reconheça o seu erro em atacar um Futebolista com uma personalidade rara nos tempos que correm, um futebolista imprevisível como poucos, capaz de magia e com mística, um ícone e um ídolo de quem gosta e percebe de futebol… Ele já não tem 20 anos, mas vale pena ver cada minuto que ainda está em campo pois é do melhor que ainda existe no futebol. É talvez o jogador mais respeitado que passou em Portugal nos últimos 20 anos, respeitado em qualquer estádio da Europa onde entre por jogadores, treinadores, dirigentes e jornalistas (excepto um tal de “fernando esteves”). Mesmo na casa dos 30, Aimar tem tido um rendimento elevado ao longo dos últimos 5 anos contando muitas assistências, alguns golos (brilhantes) e uma influencia notável no jogo do SLB…

    Faça um favor a si próprio e redima-se do que escreveu, deixando lado a sua indisfarçável obsessão clubística e cabalística.

    Responder
  2. Pedro

    Caro Sr. Jornalista. Não creio ter entendido a razão pela qual os Benfiquistas ficaram ofendidos com a sua prosa. Não foi pelos vídeos que colocou e que mostram o quão bom jogador o Aimar é. Sim, o talento para uma profissão não desaparece. Ou está lá, ou não está. Foi sim pela falta de respeito que demonstrou para com um jogador do Benfica, para mais, um dos que os Benfiquistas mais acarinham.

    Agora, acerca do talento: se o Sr. Jornalista fosse mais talentoso, de certo que na sua pesquisa por momentos mágicos do Aimar, teria encontrado no youtube, por exemplo, este momento mágico contra o Vitória de Setúbal. Ao serviço, quem diria, do Sport Lisboa e Benfica:

    http://www.youtube.com/watch?v=7-UC5NpUTCM

    Se se der ao trabalho de ver o vídeo, talvez perceba porque razão os Benfiquistas tanto admiram este jogador.

    Cumprimentos.

    Responder
  3. rui

    Concordo com o que foi dito ontem sobre o Aimar. Raramente se consegue manter de pé quando participa numa jogada e raramente consegue fazer um passe para a frente. Recentemente conseguiu fazer uma jogada em que se isolou mas o remate foi infantilmente fraco. Basta assistir ao jogo do Aimar com papel e lápis anotar as jogadas em que participa e cocncluir que é hilariante a sua actuação. Contudo tem bom toque de bola se estiver sózinho, faz lembrar o Vitor Baía que era fotogénico mas quando o adversário atacava em massa (superior à sua equipa) era um guarda-redes vulgar.

    Responder
  4. Zé das Taipas

    Lá audácia não lhe falta, e parcialidade também não… A isto se chamar puxar a brasa à sardinha. Só dou alguma validade a estes textos por estarem enquadrados num blogue, que julgo, de opinião própria. E como tal nesse espaço podem-se escrever crónicas como se bem entender… Mas chamar a isto jornalismo, se pode ser considerado jornalismo, bem se é que pode, então é triste.
    Naturalmente Aimar não é o mesmo jogador de outrora, e por essa razão está no Benfica e não no Barcelona, contudo e apesar das suas limitações físicas é dos jogadores mais geniais que pisou os nossos relvados nos últimos 20 anos. Só não vê isso quem não quer. E só é pena não haver (ou não ter havido) mais Benfica para tamanho jogador.
    Procurar factos (parciais) em compilações de melhores momentos é tão verdadeiro como encontrar craques em DVDs. Como referi, concordo que o jogador não é o mesmo mas daí a ser considerado um logro vai uma larga distância. Se eu quiser também encontro vídeos do Cristiano Ronaldo a fazer fintinhas no Sporting como não fez em mais nenhum clube mas, enfim, esta já é uma comparação um bocado ridícula que só não é despropositada face ao patente texto pseudo-jornalístico/humorístico com que fomos brindados.
    Demais a mais havia a noção da condição física do jogador e do risco que acarretava aquando da sua contratação, mas também foram por certo considerados os benefícios desportivos e comerciais que a recuperação do atleta poderia conferir. E como se sabe, neste desporto que é o futebol, não são muitos os jogadores técnicos e criativos que continuam em elevado nível após os 30 anos. Seria justo esperar que Aimar fosse excepção? Terão sido, a exemplo e a determinada altura, Paulo Sousa e Frute fraudes futebolísticas?
    Aconselho-o a consultar um blogue bastante conhecido entre os apreciadores de futebol – http://lateral-esquerdo.blogspot.pt/ – onde muito se escreveu sobre Aimar, da actualidade e do passado, num formato muito mais verosímil do que o caro autor e eu próprio seremos capazes de fazer. Talvez descubra que ser jogador de futebol transborda o preconcebido atleta forte e rápido que sabe fazer uns dribles.
    Felicito a forma engenhosa que encontrou para atrair visitantes ao seu espaço, não há nada melhor do que confrontar a enorme massa Benfiquista para concretizar esse propósito.
    Até sempre.

    Responder
  5. Jornalismo

    Uma pequena nota, um jornalista profissional não deixa os seus gostos interferir com o seu trabalho, a isso se chama amadorismo, que é o que parecem as suas crónicas. Outra coisinha, o Aimar chegou ao Benfica há 5 épocas, custou 6,5M€, infelizmente esta época tem jogado menos, mas em todas as outras foi CLARAMENTE um dos melhores jogadores do Benfica, será que um jogador que vinha de várias lesões e que estava no modesto Zaragoza foi uma fraude? Acho que não, todos sabíamos que o Aimar do Valência, que era só o melhor jogador do campeão espanhol, tinha acabado com as suas lesões, no entanto não deixa de ser um dos melhores jogadores da liga portuguesa.

    Para terminar 2 coisinhas primeiro uma pessoa com nível não precisa de responder ou provocar pessoas que tecem comentários idiotas independentemente de terem ou não razão. Segundo, eu como benfiquista não fico nada chateado em ver um grande golo do Aimar num vídeo, até fico deveras contente por ter sido o jogador que foi e estar a jogar nas cores do Maior.

    Um bem haja para ti.

    Responder
  6. josé luís saldanha

    Caro Sr. Fernando Esteves, tenho lido com interesse aquilo que escreve, porque me parece que é das poucas pessoas que escrevem com originalidade, acerto e inteligência nos jornais portugueses. Percebo aquilo que sugere sobre Aimar, mas penso que o seu julgamento em «Record» não foi dos momentos mais equilibrados da sua parte. Apesar se ser adepto do Benfica, e respeitar a carreira e a pessoa de Aimar, devo dizer-lhe que penso que, não estando longe de ser um jogador qualquer, também me parece exagerado dizer que foi génio do futebol. Tem lances geniais, e muitos mais do que a maioria dos colegas de profissão – mas se fosse um génio, tinha chegado a um clube de top europeu, e isso nunca esteve perto de acontecer.

    Daí a dizer que se trata de uma «fraude», hoje ou em qualquer momento, vai um valente salto. Como já li por aqui, os videos que nos mostra não levam qualquer vantagem sobre momentos que já teve na Luz (veja o golo com o Paços, ou aquele com o Setúbal, por exemplo).

    O que sim ficaria bem de dizer era que jogar na Europa não é o mesmo que fazê-lo na Argentina; e ter 20 anos não é o mesmo que ter 33. Por acaso, o ano em que Eusébio deixou a Luz.

    Responder

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Current ye@r *

Páginas: 1 2